segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Sobre Blogs, Barcos e Óculos

Recomendo ler com a música. ;)


De repente a vida real ficou tão importante, tão difícil, que eu saí do mundo virtual.
Muita gente me incentivou a voltar, muita gente nem reparou que eu sumi, mas o fato é que desde que um verdadeiro mar de tormenta se instaurou por aqui ficou difícil querer qualquer outra coisa que não fosse...paz. Eu não queria mais botas, bolsas e viagens. Nada. Só queria meus sonhos de volta.
Senti uma preguiça sem fim de looks, tendências, dicas, makes, eventos etc. Olhava pra esse mundo e pensava: Que merda vocês estão pensando? Eu tenho mais o que fazer do que me preocupar com isso!
E de fato, eu tinha. Resumindo, porque isso é um blog pessoal, mas ninguém precisa de tantos detalhes assim: Eu me mudei de estado e foi uma das coisas mais difíceis que já fiz na vida, apesar de extremamente recompensadora. Perdi alguém que eu amava absurdamente e foi a coisa mais pesada que já senti na vida. Todos os meus conceitos de família, amor e amizade foram mastigados e vomitados completamente embaralhados na minha cara. Tive um emprego razoavelmente bom, mas que me apagava totalmente como ser humano, o que combinava perfeitamente com o que eu queria fazer - sumir. Namorei, fiquei sozinha, namorei. Chorei tudo que tinha pra chorar e então chorei mais um pouco.
Nem tudo foi ruim o tempo todo e aos poucos, fui me levantando. Fiz planos, viajei, sorri, sorri muito. Voltei a ver bastante graça em botas e bolsas! Era uma vida diferente de tudo que eu já tinha imaginado, mas estava melhorando. Consegui um emprego melhor! Descobri um possível caminho profissional.
Percebi que minha forma de lidar com tudo que é material é que estava errada. Não me entendam mal. Como disse, voltei a achar graça em botas. Inclusive, pensei muitas vezes em voltar com o blog exatamente como era antes. Só que alguma coisa clicou aqui dentro. Apesar de ainda querer muitas coisas, isso já não me angustiava tanto. Minha sede tornara-se muito mais de viver do que de ter. Claro que muitas "vivências" podem ser compradas e dinheiro traz felicidade, sim, mas não entrarei nessa seara.
Depois desse breve momento de céus mais azuis, é óbvio que vieram novas tempestades, novos sorrisos, desemprego, viagens, solidão e amizades. Às vezes ainda tenho vontade de sair correndo e nunca mais parar (três dias sem olhar pra trás, como diriam velhos amigos), mas agora sei que não preciso me esconder ou sumir, que quando as tormentas voltam sempre tem alguém comigo nesse barco, segurando a minha mão e dizendo que vai ficar tudo bem. É uma outra Jana 10 vezes mais forte - o amor próprio. Mas é claro que eu jamais a teria visto sentada ali quietinha sem a ajuda dos meus pares de óculos (amo todos vocês e vocês sabem quem são).
Uma das palavras de ordem da minha geração é "compartilhar" e é bem isso que pretendo fazer por aqui. Registrar e espalhar pelo mundo, a quem interessar possa, um pedacinho desta que vos fala, sem muita afetação, mimimi ou coisas "deusas" porque disso, por enquanto, continuo com preguiça.
De repente a vida real ficou tão importante, tão difícil, que eu voltei pro mundo virtual.

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Adorei seu texto! Passar por muitas coisas fazem a gente pensar no que é realmente importante e nos faz crescer muito.

    bjs.

    Morena
    www.todamocinha.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Morena! Pensar no que é realmente importante me ajudou demais mesmo. ;)

      Beijos!

      Excluir
  2. Emocionei, e aplaudi de pé esse post e o retorno do blog! Bravo! Que venham muitos outros posts, realizações, sucesso e muitos passos a frente, sempre.

    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo apoio sempre, amiga! <3 Vamos que vamos!

      Excluir